segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

OH! LORD



É Sempre uma honra subir neste palco.


domingo, 11 de dezembro de 2016

E assim vamos fazer...


sexta-feira, 15 de maio de 2015

quarta-feira, 26 de março de 2014

Sou eu contando a minha história





Já dormi,
Já amanheci.
Já bebi e já comi
Já entendi
E fiz que nunca aprendi
Chorei de dor e de medo
Mas quando era medo
Eu só fingia que chorava
Já me afoguei numa piscina
E vi minha visão turva ficar.
Era pacífico,
Mas o que eu queria mesmo era brigar.
Muitas vezes eu briguei
E mesmo ganhando eu perdia
No fundo o que eu queria
Era encontrar o meu caminho.
Talvez um bicho, talvez fera,
Mas a busca era
Entender o que eu era.
Sempre dividi o que era de comer.
Mas o que era meu, sempre foi meu.

Desde que nasci
Queria saber da minha profissão.
Músico, goleiro,
Palhaço ou trapezista
Não nego,
Chamar a atenção
Era o que eu mais gostava de fazer.
Já corri até chorar,
E já chorei por não poder correr mais
Já ajudei e fui ajudado
Já chorei sem ninguém ver.
Já acordei e fui acordado.
Já falei enquanto dormia,
E já chorei sem motivo algum.
Deu pra perceber que chorar era fácil e constante.
De todas as profissões
Talvez carpideiro seria a ideal.
Já fui abandonado e abandonei o meu passado
Achei que seguir o coração
Fosse o ato mais racional
Tive muita fé em Deus e no Amor.              
A vida me tirou muitos amigos
Dentre eles alguns tios e meu avô.
Já fui pedreiro, sorveteiro e
Vendedor de vela em porta de cemitério.
Joguei bola, bets, truco,
Fubéca e brinco todos os dias
Achando que sou locutor.
Já namorei, amei e já sorri
Sim eu sorri
E muito.
Quando andei sozinho
Pela segunda vez.
E quando consegui fazer
O primeiro acorde no meu violão
Já compus uma música,
Fiz serenata
E criei personagens na minha imaginação.
Já enxerguei o que não deveria
E já perdi a visão de um olho só.
Isso nunca fez falta
pra quem enxerga com o coração
E na boa
Pra quem só queria escrever a sua história.
Já enfiei um feijão no buraco do nariz
E até hoje ele nunca saiu de lá.
Tenho 11 parafusos espalhados pelo corpo
E pra ficar bom preciso de mais 11.
Já fui pescar, mas nunca fui pescado.
Já escrevi e apaguei
Já sujei e já lavei,
Comprei e paguei
Falei e escutei
Mais escutei do que falei
Não por timidez
Mas para ouvir o que precisava ser ouvido
E falar só o que fosse necessário.

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Feliz Ano Novo.

Feliz Ano Novo.
Que 2014 seja um ano de muitas realizações a todos nós. E é claro, com muita música para alegrar nossos dias.
Há muito tempo nos diz Lulu Santos: "Vamos nos permitir". Então, permita-se ser feliz.

Abraço do Marcão.

terça-feira, 30 de julho de 2013

Um Passo de Cada Vez

Um passo de cada vez
Primeiro um, depois o outro.
No começo é assim,
Você se segura
Aqui e ali,
Se apoia na parede,
Mas depois descobre
Que não foi tão difícil assim.



Sou gracejado em tudo que faço.
Somos um do outro
O fã número 1.
Eu choro, ela chora
Eu sorrio, ela sorri.
Na música que eu acabei de compor.
No desenho que ela acabou de pintar.
Na história que eu distorci
Pra que ela nunca pare de sorrir e
Naquela dança desajeitada.

Um passo de cada vez
Primeiro um
Depois o outro.
No começo é assim
Você vai correndo
Uma perna bate na outra
Até perceber,
Que pouco a pouco 
Elas estão se firmando ao chão.

Abraçar o mundo
Com os braços e as pernas
Não é questão de tamanho nem vontade,
É questão de tempo.
Porque a pressa? se tudo na vida é:
Um passo de cada vez?
Primeiro um depois o outro.

Há quem diga que
A cumplicidade
Vem do convívio
Mas a nossa. 
Veio do desconhecimento
Quando a luz dela brilhou intensamente
e a minha tão profundamente 
encontrou nela combustível pra queimar.
Foi quando o destino mudou repentinamente
E me deu o maior presente.
O de hoje perceber que tudo na vida é:

Um passo de cada vez
Primeiro um depois o outro.
Primeiro um depois o outro.