segunda-feira, 9 de abril de 2018

Liberdade


Saiu sem perguntar,
Sem pedir permissão.
Decidiu fechar os olhos
E ouvir a voz do seu coração.
No percurso há 2 horas
Se lembrou do cadeado no portão,
Se trancou as portas e as janelas
Se deixou a casa limpa
Para quem ainda iria chegar.

Andou,
Parou,
Errou,
Chorou em suas precipitações.
Pelo corpo o peso do tempo
E as marcas de suas decisões

Escolheu silêncio depois
De muito barulho fazer.
Preferiu andar só
Depois de muitos conhecer.
Se lembrou de quando ouvia
O que ele deveria fazer.
Encarou os problemas
E as formulas prontas, assim,
Olho no olho.
Nada Superficial

Se livrou dos perigos imaginários
Das armadilhas originárias do cansaço
Cultivou paz
Colheu amor
Sorriu honestamente
Refletindo o que habitava
Em seu coração.














Um comentário:

  1. "Colheu amor
    Sorriu honestamente
    Refletindo o que habitava
    Em seu coração."

    Lindo isso...

    ResponderExcluir